quarta-feira, outubro 26, 2005

Quatro

Nós éramos tão melhores. Falta-nos o tempo, há-de sempre faltar-nos o tempo. Repetias, a toda a hora: "não te quero ver toda hoje" E eu só não te queria ver a perder todo o teu tempo hoje. Seria sempre fazer perder na segunda pessoa do plural. Como nos deixámos ficar assim? Havia outra forma de agarrar, de desenhar isto?

Dizias-me "Sabes o que fazes às pessoas, não sabes?" Não penso nisso... "Isso poderá ser entendido da pior forma" Já não penso nisso... "Tu és o acidente de sangue, olha só a multidão que te veio ver" Já não quero pensar nisso...

Agora somos isto. E é um dia-a-dia cheio de "olhar e estranhar" o que nos vemos ser. Custa ser. Custa sentir saudade do marginal. O que era simples na altura, agora está longe demais. Acordo e deito-me. E estou a ver-me de fora. A perder tempo. Resta aprender a poupá-lo, porque alguém tirou o simples marginal do sítio.

Quero conhecer-te um pouco mais amanhã, pode ser? Além do além e do mas. Deixa.

4 comments:

Anonymous Anónimo said...

Wonderfull blog. Color and design I like it.

I have a musicians site. It pretty much covers musicians related stuff. I am working on this site to make it better.

Let me know what are you thinking about mine.

26 outubro, 2005 01:21  
Blogger Capitao America said...

Estranho...!!!!!!!

26 outubro, 2005 10:37  
Blogger Diana said...

Eu sei que já andavas com saudades deste tipo de textos...

26 outubro, 2005 15:28  
Blogger guedes said...

ã

27 outubro, 2005 20:10  

Enviar um comentário

<< Home