sábado, março 04, 2006

O que vai indo na minha cabeça ou O quão tolinha eu sou

Fiz um número e uma estrela no Euromilhões. Foi dia de pijama. Não me lembro do sabor do bolo de chocolate que comi ao almoço e sei que isso é mau. Ontem dormi com a maquilhagem. Percorri a empresa quase toda e descobri que talvez seja mais vista do que aquilo que eu penso. Descobri que aquele filme-de-merda que está no cinema e que eu decidi interiormente que não valia a pena ir ver, está nomeado para o Oscar de "Melhor Filme". Vi a Academia de Polícia 3, o Adam Sandler e a Nova Gente ao mesmo tempo. Mentalizei-me de que isto se devia à teoria de que Se nada é bom, tudo não será pior. Hoje apetece-me demais rever o Fabuloso Destino, mais do que qualquer outra coisa que pudesse fazer a um sábado à noite. Fiquei a saber que aquele rapaz vai para a Polícia e que ele acha que eu devia fumar menos. O menino da bola tem namorada? A Patrícia viu, mas não sabe quase nada. Faltou a luz durante a maior parte do dia de hoje, o que me dá uma boa desculpa para muita coisa que não queria fazer. O Samuel põe muitas interrogações a um comentário meu; eu não tenho nada a dizer relativamente a interrogações. Fomos à garagem. O anel voltou à base. Aqueles irmãos umbilicais brilharam. Custou a adormecer, pelas dores todas que tive ontem. Várias, com origens mais ou menos explicadas. Estive a estudar a reprodução com o meu irmão mais novo. Pensava que ele se ia rir mais. Fiz-lhe esquemas, como sempre fiz para mim, para ele estudar. Lembrei-me daquela publicidade anti-tabágica, em que os irmãos Guedes estão permitidos de algumas badalhoquices, já que Feio é fumar. Bebi um néctar de morango, cuja composição também inclui néctar de banana, fruta que me dá vontade de vomitar. Apetece-me cada vez mais ir morar sozinha, mas, por ora, terei de continuar camuflada, por aqui. O meu irmão mais novo simula hóquei com a minha bengala de finalista. Faz-me uma certa confusão pensar que há pessoas que gostam de mim e que não me fazem determinadas perguntas, só para não me aborrecerem. Amanhã é domingo e eu não quero saber. Descobri o jeitão que me dava ter uma aparelhagem com mp3 no quarto, no preciso momento em que os meus pais compraram uma para eles e apesar de a minha actual só servir para ouvir As Manhãs da 3. Não há nada como despir a roupa e atirá-la para o chão. Mesmo que se apanhe a dita logo de seguida, ela tem de ir para o chão. What a wonderful world faz-me sentir esquisita, mas bem. Admiro as pessoas que vivem um dia de cada vez, sem pensar nas inevitáveis-mas-também-não-tão-inevitáveis-assim contrariedades que se podem adivinhar no futuro. Como se tudo lhes bastasse por estar bem agora. Dou por mim a pensar que sou uma pessoa muito assustada com a vida. Que não conheço as pessoas. Que as pessoas são capazes de coisas que sei que são reais, mas que nunca as vi suficientemente perto para levar a sério. Gostava de ser mais ingénua. Gostava de saber o que as pessoas realmente pensam de mim, sem que elas soubessem que eu sei o que elas pensam de mim. Gostava de sofrer menos da cabeça. Ontem estava para-anormalmente bem disposta, hoje não. Típico.
Sometimes I don't know who to be...

3 comments:

Blogger Adriana said...

q filme de merda?

05 março, 2006 01:29  
Blogger Adriana said...

e outra coisa, akela publicidade, o q eles fazem n é feio, é nojento! :D

05 março, 2006 01:31  
Blogger Diana said...

Acho que se chama "Colisão".

05 março, 2006 13:50  

Enviar um comentário

<< Home