quarta-feira, março 29, 2006

Emocionalmente Ricos

Prefácio de Adriana Oliveira, um talento de cozinha perdido
Às vezes dizem que só alcançamos o que queremos com muita força de vontade. Outras vezes, dizem que se deixarmos de procurar, o que queremos aparece. Haja alguém que nos esclareça.
Num destes dias, numa experiência única proporcionada pelo meu primeiro emprego, ouvi de um dos colaboradores - e, por isso, meu colega - a seguinte expressão: Eu lutei muito para me sentar nesta cadeira. Este homem-rapaz está a acabar o curso superior de uma engenharia pseudo-máscula qualquer e, não obstante o também suposto prestígio de se ser formado, ele queria fazer durar aquele emprego.
Um emprego à partida medíocre e uma força, qualquer que seja, maior. Ele sabe exactamente o que quer para a vida dele.
Nada de especial. Passadas semanas, que quase completam meses, ainda me lembro do tom que ele usou naquela frase, e dos olhos-quase-agressivos com que conseguiu marcar a ideia em mim.
É como se qualquer pequena emoção que eu sinta em ebulição numa pessoa, provocasse uma minúscula abanadela emocional na minha vidinha de diana.
Não sei se se sentem, como eu, morrer interiormente, algumas-muitas vezes. Assim como se, lentamente, andassem pelas ruas a realizar o filme da vida de todas as outras pessoas, umas vezes em câmara lenta, outras a preto e branco, outras em mute...
Caindo no erro de parecer a pobrezinha emocional que efectivamente sou, dou por mim a recordar momentos como este. A pensar em como seria bom se...
Acho que a Adriana me matou com o prefácio.

2 comments:

Blogger Adriana said...

tu n m dás informações suficientes, depois o tiro sai-t pela culatra :D

30 março, 2006 01:20  
Blogger Diana said...

É só por isso que te peço os prefácios.

30 março, 2006 22:24  

Enviar um comentário

<< Home